segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

POR DETRÁS DO BLOGUE... CONFESSIONS OF A SHOPAHOLIC

Mil desculpas pelo atraso. Recomecei na semana passada as aulas e a verdade é que o tempo tem sido escasso para tudo o que quero fazer. Não é fácil sair das aulas todos os dias às 20h e chegar a casa e ter ânimo e energia para mais do que jantar e deitar. Espero esta semana retomar o ritmo habitual!


Já aqui referi que o melhor que este universo dos blogues me trouxe foi as pessoas que conheci e que agora, de alguma maneira, fazem parte da minha vida. Incrivelmente, foi a dona do blogue de hoje que um dia me descobriu e não demorou muito até ela passar a ser uma das minhas bloggers favoritas. Basta-me ver o ícone de actualização ali ao lado para ir a correr ver o Confessions of a Shopaholic. É, sem dúvida, alguém que quero conhecer pessoalmente e não apenas pela net. Esta entrevista só veio aumentar ainda mais essa vontade. 

Vejam porque é que acho a Sara tão fascinante...


Perguntas individuais

HIMA - Vives em Aveiro. Achas que é uma cidade que se adequa a ti e à tua maneira de ser ou preferias viver noutra? 
Sara - Quando cheguei a Aveiro, em 2005, não conhecia a cidade nem uma única pessoa e essa incógnita atraiu-me. Tornou-se na cidade onde vivi os melhores momentos e conheci amigos para a vida, tornou-se na minha cidade, digo com gosto que sou de Aveiro, afinal já me considero um bocadinho daqui. No entanto, passados todos estes anos acho que a cidade se tornou pequena, poucas coisas mudam ou mudaram, same   place, same people, se é que me entendes. Tenho muita necessidade de conhecer e para isso sem dúvida que prefiro o Porto ou Lisboa, onde há sempre algo a acontecer, novidades, gente nova.

Para quem segue o teu blogue há uns anos, tornou-se evidente uma evolução no teu estilo e nos teus gostos. Como é que isso aconteceu? Como é que surgiu a paixão pelo preto?  
Blame it on the blog. Os blogues são mestres em partilha de informação e é desta partilha que nos identificamos ou não com alguém, com o seu estilo. Acho que foi um bocadinho isso que me aconteceu, conhecer outros blogues que me trouxeram inspiração para que o guarda-roupa fosse mudando. No entanto, tenho também consciência de que a idade e o trabalho reclamam parte da culpa neste processo de mudança.
Quanto ao preto, a verdade é que ele esteve sempre lá, só ainda não sabia que me ia tornar completamente dependente dele e que isso se traduziria em ser a cor predominante num guarda-roupa. Sabes quando entras num sítio e não te sentes confortável, que não é a “tua praia”? Bem, é como me sinto quando não existe preto, é como se não fosse eu, dependente. Raramente há cor sem ser nas unhas, mas o preto tem o seu mistério, eternamente elegante, e isso é a chave para o intemporal, é por isso que gosto tanto dele. 

És uma rapariga que tanto usa ténis como saltos altos no dia-a-dia. Qual das opções é que preferes?
Entre saltos e rasos, confesso que não consigo decidir quais os meus preferidos. Os saltos são quase sempre para o dia-a-dia, desde que seja tudo com muita calma não abdico deles, com limite de horas para uso, é claro. Os ténis são quase sempre a opção para relaxar no fim-de-semana. 

Andaste recentemente numa grande demanda por um objecto de maquilhagem e acabaste por consegui-lo. Quando queres muito algo (uma peça de roupa, um par de sapatos…), fazes de tudo para o conseguir? Procuras sempre alcançar os teus objectivos?
Estas coisas acontecem porque por alguma razão lembro-me de uma peça ou olho para ela de uma forma diferente já algum tempo depois, na maioria já tão depois que já não vou certamente a tempo de encontrar. Mas não fico obcecada com isso, se não se consegue paciência, porque de certeza que vou encontrar outra peça que ocupe essa falha. Quando existem estas perseguições de última hora, quase sempre são as pessoas que seguem o blogue ou o Facebook que acabam por encontrar e fazer chegar até mim. Conclusão, ter um blogue pode arruinar a carteira. Hahaha.
Na vida as coisas são um bocadinho diferentes, há metas e objectivos a atingir, há planos e sonhos, basicamente são estas duas últimas palavras que me comandam. Há que conhecer bem os meios para poder atingir os fins, não de uma forma obcecada mas sim obstinada. 

Já foste dançarina. O que recordas desses tempos? Se pudesses, voltavas a sê-lo?
Esta pergunta é tão difícil porque há tanta coisa para dizer sobre isto. Quando me remeto para os tempos de competição e de tudo o que aquilo significava e significa para mim, vem-me sempre à cabeça a música do Dirty Dancing, “I had the time of my life...”. Basicamente, chorei e cresci numa pista de dança, tinha 19 anos quando deixei de competir e tenho a certeza que grande parte da minha obstinação e valores vem daí, dessa educação, competir é uma escola. Até hoje nunca senti o que sentia quando dançava. Bem, talvez tenha sentido (não com a mesma intensidade) quando voltei a conseguir ver campeonatos, basicamente achei que não iria conseguir viver quando deixei de dançar. Lá deixei todo o meu amor e dedicação, sangue, suor e lágrimas literalmente. Trouxe no coração os momentos, os amigos, os alunos, o maior professor, que continuam a viver esse sonho por mim. Se voltaria? Não, sou convicta de que tudo na vida tem um timing e voltar a competir já passou. Deixo isso para os outros, para os mais novos, para os que têm melhores pernas que eu, mas de uma coisa tenho a certeza, com o que sei hoje seria melhor dançarina. Às vezes sonho em voltar, de como seria, os vestidos, o momento em si, mas depois chego sempre à conclusão que não aguentaria voltar e sentir-me por alguma razão derrotada, porque hoje, com 27 anos, não olho para a derrota da mesma forma como quando tinha 10 anos e comecei nisto, por isso fiquemos pelo sonho. 

És naturalmente morena mas actualmente o teu cabelo está louro platinado (que te fica a matar). De onde veio o desejo de adoptar essa cor de cabelo tão diferente? Tencionas um dia voltar à tua cor natural?
A culpada disto tudo é a Emily Weiss do Into the Gloss, da minha amiga Maria e claro, do cabeleiro Alex. Sempre tive a vontade de experimentar e quando a Emily fez a descoloração, sendo ela assumidamente morena pensei “porque não?”. Se corresse mal, poderia sempre voltar ao castanho. Não foi fácil para cá chegar mas agora que cheguei confesso que estou a adorar a cor, a desfrutar, mas sim, voltarei certamente ao castanho devido a toda a questão da manutenção da cor.

O teu blogue é, actualmente, um dos mais lidos e populares em Portugal. De que forma é que isso pode ter mudado alguma coisa na tua vida?
Sinceramente, acho que muito pouco mudou, continuo a ser a mesma pessoa, o blogue é um grande reflexo de mim, nem eu própria tenho noção de que seja um dos mais lidos ou mais populares, não me vejo assim. No entanto, permitiu-me ter acesso a outras coisas, como informação, produtos, eventos, etc, que, provavelmente, de outra forma não aconteceriam e o melhor de tudo, as pessoas, as amigas.

Consegues definir-te com apenas três palavras?
Tem dias que sou um turbilhão e outros o controlo em pessoa mas o que fará sempre parte de mim, no matter what, é a amizade, a boa disposição, a teimosia e a lealdade para comigo e com os outros, podem ser 4 não podem?

O que é que queres que as pessoas mais associem ao Confessions of a Shopaholic?
Quando comecei o blogue não tinha expectativas, basicamente queria um sítio onde pudesse falar das coisas que me fazem felizes, do que gosto. E hoje, passados 4 anos, continua a ser isso mesmo, moda, beleza, restaurantes, música, tudo o que gosto está ali, do meu ponto de vista, com o meu tempo e dedicação. Simplicity and black is all that matters

Como imaginas a tua vida daqui a dez anos? O blogue ainda fará parte dela?
Num ano há tanta coisa que muda que os planos para daqui a 10 anos direi que ainda estão muito encobertos. Espero estar igualmente feliz e igualmente realizada, já seria um bom começo. Quanto ao blogue, espero bem que sim. Será bom sinal, que evoluiu, que há pessoas que o continuam a ler e que afinal não estou velha para isto. 


Perguntas gerais

Se tivesses de escolher apenas três marcas para viver para o resto da tua vida (moda e beleza), quais seriam?
Em modo low-cost:
Moda – Zara;
Beleza – Dior;
Acessórios – Cinco

De que forma é que o nome do teu blogue diz alguma coisa sobre ti?
Confessions of a Shopaholic, se associarem o nome ao filme que associem à parte do gosto pela moda e ao facto de acreditar que uma boa tarde de compras é uma terapia inquestionável. Na altura em que dei o nome ao blogue era, sim, mais consumista do que o que sou hoje mas afinal mudam-se os tempos, mudam-se as vontades e o blogue também me ensinou a comprar menos, melhor, mais intemporal.  

Se pudesses viver apenas do blogue e tivesses de abdicar de uma carreira profissional na tua área,  fá-lo-ias?
Nem pensava 2 vezes, oh yeah!


Do fundo do coração, mil obrigadas à Sara por participar nisto e pelas respostas espectaculares! Espero que tenham gostado tanto como eu.


Sexta há mais uma convidada... Stay tuned.

10 comentários:

  1. O obrigada é meu, por poder dar a conhecer um bocadinho mais de mim, foi um prazer! beijooo*

    ResponderEliminar
  2. Adorei mesmoooo! A Sara parece ser uma pessoa fantástica :)

    ResponderEliminar
  3. Adoro a Sarinha sempre uma simpatia e gostei de conhecer ainda mais sobre ela :)

    love,
    memoriesandaddictions

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade. Foi das melhores entrevistas que já fiz, sem qualquer dúvida :)

      Eliminar